sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Luto

Não consigo para de pensar na felicidade do Jonathan Vettorazzi Bauer quando ele veio me contar dos 22 acertos em Geografia no simulado da ONGEP. Era uma expressão de orgulho, um claro indício de que o sonho daquele ano podia sim se concretizar. Mas não.

Numa estupidez desse mundo estúpido, no último dia de prova do vestibular, antes mesmo de ir fazê-la, tiraram a sua vida num assalto que buscava... buscava o que? Provavelmente uns trocadinhos, um celular, um relógio, uma reafirmação da masculinidade xoxa do assaltante...

Frustrante. Dá medo. Uma história dessas coloca em cheque os planos a longo prazo, as dúvidas, os medos da gente. Ele estudava com sono a noite, trabalhava muito, ficava feliz com pouco, não exigia lá muita coisa da vida, esforçado, e ... parece que não basta. O que basta? Como que a gente deve viver hoje em dia?

Nenhum comentário:

Postar um comentário